Prevenção do Cancro da Mama

O cancro da mama é um dos tipos de cancro mais comum nas mulheres e, quando diagnosticado precocemente e tratado corretamente, as probabilidades de cura são muito elevadas.

Em Portugal, anualmente são detetados cerca de 7.000 novos casos de cancro da mama, e 1.800 mulheres morrem com esta doença, de acordo com os dados da Liga Portuguesa Contra o Cancro.

O Cancro da Mama em indivíduos do sexo masculino representa 1% de todos os casos da patologia referida.

A investigação contínua permite descobrir novos dados acerca das suas causas e novos modos de prevenir, detetar e tratar esta doença. Assim, as pessoas com cancro da mama podem esperar uma melhor qualidade de vida e menor hipótese morte.

Fatores de risco de cancro da mama:

  • Histórico Familiar;
  • Obesidade;
  • Consumo de tabaco;
  • Consumo de álcool;
  • Vida sedentária;
  • Idade.

Numa fase inicial, a maioria dos casos de cancro da mama podem ser avaliados através do autoexame. O autoexame da mama deve ser realizado mensalmente por todas as mulheres a partir dos 21 anos de idade, sete dias depois do início da menstruação. Após a menopausa, deve-se definir um dia do mês e realizar o exame sempre com intervalo de 30 dias.

Outras medidas que podem ser tomadas passam por fazer visitas anuais ao ginecologista e após os 40 anos realizar uma mamografia anual.

Em relação aos tratamentos, é sabido que danifica células e tecidos saudáveis e que surgem variados efeitos secundários.

Alguns efeitos secundários específicos dependem, principalmente, do tipo de tratamento e da sua extensão. Os efeitos secundários podem variar de acordo com cada indivíduo, mesmo que o tratamento seja o mesmo. Por outro lado, os efeitos secundários sentidos numa sessão de tratamento podem mudar na sessão seguinte.

É de notar que a hipótese de cirurgia pode surgir também e que todos os prós e contras devem ser devidamente discutidos com o seu médico.

Prevenção do Cancro da Mama